quarta-feira, 31 de julho de 2013

"50 Tons de Cinza" é a leitura favorita entre os presos de Guantánamo


A série de romances eróticos 50 Tons de Cinza é o material de leitura favorito entre os ex-presos da CIA detidos no centro de Guantánamo, disse um congressista norte-americano citado pelo Huffington Post.
O representante democrata Jim Moran, da Virgínia, estava entre os delegados do Congresso que visitaram na semana passada o Campo 7, a instalação de segurança máxima que detém mais de uma dezena de presos de "alto valor", inclusive cinco homens acusados de terem planejado os ataques de 11 de setembro contra os Estados Unidos em 2001.
"Em vez do Alcorão, o livro que é mais requisitado pela maioria (dos detidos) é 50 Tons de Cinza. Eles leram a série toda em inglês, mas estão dispostos a traduzi-la", disse Moran na segunda-feira, segundo o Huffington Post.
"Acho que não há muita coisa acontecendo, esses caras não estão indo a lugar algum, então, que diabo."
Moran, que é a favor do fechamento do centro de detenção na Baía de Guantánamo na Base Naval dos EUA em Cuba, disse que soube da popularidade do livro enquanto andava pelo Campo 7 acompanhado do comandante da base e do vice-comandante, do chefe médico e do oficial responsável por aquele campo.
O gabinete de Moran não retornou a ligação da Reuters. Um porta-voz militar disse que não podia discutir os detalhes do Campo 7, cujos detentos estiveram em prisões secretas da CIA antes de serem enviados para Guantánamo em 2006.
"Não falamos sobre nossos detentos de alto valor a não ser nos termos mais genéricos. Além disso, não falamos sobre as declarações feitas por membros do Congresso", disse o tenente-coronel Samuel House, porta-voz do campo de presos.
Alguns detentos estão participando de uma greve de fome em protesto contra sua detenção indefinida.
Jornalistas não podem visitar aquela parte do campo de detenção, mas podem visitar outros presos e a biblioteca que fornece os livros, revistas e DVDs aos 166 cativos.
Durante uma visita na semana passada a Reuters viu uma mistura eclética de livros em várias línguas, de tomos religiosos a romances de Star Trek, mistérios de Agatha Christie, livros para redução de estresse e o clássico grego Odisseia.
Também estava disponível Jogos Vorazes, segundo um bibliotecário que atende pelo apelido de Zorro. "Temos o filme e os livros também", disse.
Bibliotecários de Guantánamo já disseram no passado que tinham filtrado o material de leitura em busca de conteúdo sexual, chegando mesmo a censurar fotos de mulheres seminuas nas propagandas de revistas de esportes.

terça-feira, 30 de julho de 2013

Secretário visita bibliotecas contempladas no edital de modernização

Nessa sexta-feira (26) o secretário de Estado da Cultura, Assis Brasil, visitou as bibliotecas públicas municipais da região por onde passou a Caravana da Interiorização. Assis Brasil esteve nos municípios de Pouso Novo, Santa Bárbara do Sul e Vitória das Missões.

As bibliotecas públicas desses três municípios foram contempladas pelos editais de modernização lançados pelo governo do estado em 2011 e 2012. Em Pouso Novo o titular da Cultura foi recebido pelo prefeito Luiz Buttini e pela secretária de Educação e Cultura, Isadora Pretto. A biblioteca da cidade recebeu R$ 20 mil pelo edital de 2011 com os quais instalou um setor de informática, trocou o mobiliário e aumentou o acervo.
A biblioteca Municipal de Santa Bárbara do Sul também já está modernizada. A coordenadora da biblioteca e do Museu, Gertrudes Fache, informou ao secretário estadual que a instituição possui agora um acervo de oito mil títulos. O prefeito Luiz Artur Rosa destacou o trabalho de incentivo à leitura desenvolvido para  a terceira idade. Assis Brasil visitou ainda o Museu Histórico da cidade. “Estou muito satisfeito em ver a boa utilização dos recursos públicos, em um trabalho competente e que tem todas as condições de ser contemplado em novos editais”, disse. Santa Bárbara do Sul também foi contemplado com recursos da Consulta Popular de 2012 para o setor da cultura.
Inovando pela cultura
Vitória das Missões é outro município cuja biblioteca pública foi selecionada no edital de modernização. O município tem, este ano,  a  sua primeira secretária de Cultura, Eberenice Maciel, que também é responsável pelo Esporte e Turismo. Localizada no Centro Municipal de Cultura, a biblioteca Mario Quintana foi selecionada no edital de 2012 e em breve receberá os R$ 20 mil para modernizar e informatizar o espaço.
Assis Brasil ficou entusiasmado com o trabalho cultural desenvolvido no município. “Importante citarmos a relevância da cultura na formação e desenvolvimento do indivíduo, e isto vai derivar no progresso coletivo. Uma das melhores maneiras de se realizar isto é pela leitura”. O secretário apresentou ainda os novos editais do Fundo de Apoio à Cultura, que serão publicados dia 08 de agosto e ressaltou a importância dos municípios desenvolverem seus Conselhos, Planos e Fundos municipais de Cultura.
O prefeito Cezar Coletto agradeceu a visita do primeiro secretário de Estado da cultura a conhecer o município e falou sobre o trabalho desenvolvido no setor. “A cultura faz parte do desenvolvimento da comunidade e por isto temos a obrigação de melhorar a cultura no município”, disse o prefeito.
No inicio da noite o secretário Assis Brasil encerrou as visitas conhecendo as ruínas de São João Batista, uma das reduções dos Sete Povos das Missões e no inicio da noite voltou a integrar a Caravana da Interiorização de Governo em Santo Ângelo.






























Fonte: http://www.cultura.rs.gov.br/v2/2013/07/secretario-visita-bibliotecas-contempladas-no-edital-de-modernizacao/

Sapucaia do Sul terá novamente Feira do Livro em 2013



Sapucaia do Sul - Os livros voltarão a ter destaque especial em Sapucaia do Sul. A prefeitura, por meio da Secretaria de Educação, e em parceria com o Sesc, já começou a organizar a Feira do Livro 2013, que vai ocorrer de 1 a 5 de outubro, no calçadão de Sapucaia do Sul.

Ao todo serão dez bancas distribuídas no calçadão central, que contará também com palco para apresentações artísticas e autor presente. A comissão organizadora do evento, já começou os contatos com os livreiros interessados em participar da Feira. A programação cultural ficará sob responsabilidade do Sesc e também terá participação das escolas.

Para o prefeito Vilmar Ballin essa retomada da Feira do Livro, além de estimular o hábito de leitura, principalmente das crianças, coloca Sapucaia no calendário de eventos culturais. “Queremos proporcionar aos sapucaienses, principalmente os alunos das nossas escolas, a oportunidade de comprar livros em um único local, com todo o clima cultural, com atividades artísticas, conversa com escritores. Tudo isso, vai refletir no desejo e no gosto pela leitura, criando novos leitores”, afirmou.

A patrona da Feira do Livro é a escritora Eni Allgayer. A escritora recebeu com grande emoção o convite e disse que se sentia muito feliz pela retomada da Feira do Livro no município. “É muito importante as nossas crianças terem a oportunidade de viver esse momento mágico e lúdico do livro. A literatura para mim é parte de minha vida, escrevo por paixão e fico encantada com a magia de cada criança ao entrar no universo do livro", destacou.

sexta-feira, 26 de julho de 2013

#DicaSEBP Dia dos Avós



Você sabe por que dia 26 de julho é comemorado o Dia dos Avós? Porque é nessa data que comemoramos o dia de Santa Ana e São Joaquim, pais de Maria e avós de Jesus.

Segundo a história, no século I a.C, Ana e seu marido, Joaquim, viviam em Nazaré e não tinham filhos, mas sempre rezavam pedindo que o Senhor lhes enviasse uma criança. Apesar da idade avançada do casal, um anjo apareceu e comunicou que Ana estava grávida, e eles tiveram a graça de ter uma menina abençoada a quem batizaram de Maria.

Santa Ana é considerada a padroeira das mulheres grávidas e dos que desejam ter filhos. São Joaquim e Santa Ana são os padroeiros dos avôs e avós.

É uma bela história para homenagear essas pessoas tão especiais que nos acompanham, que cuidam da gente e dos nossos filhos com muito carinho, sabedoria e experiência e que são indispensáveis à nossa vida.

Mas os avós hoje em dia não correspondem mais àquela figura de velhinhos sentados na cadeira de balanço esperando a vida passar. Hoje, esses jovens da terceira idade viajam, estudam, trabalham ativamente, estão conectados, participam da sociedade e, muitas vezes, são o suporte afetivo e financeiro para muitas famílias.


E a #DicaSEBP da semana para homenagear os avós é essa:



Como ser babá do vovô

A história é narrada pelo neto, que compartilha várias dicas do planejamento e vivência do dia em que cuida do avô (ou vice-versa!).

A leitura é aconchegante e agradável, divertida e nada piegas. Muitos avós vão se identificar com a história.

De Jean Reagan – Editora Companhia das Letrinhas.

como-ser-baba-do-vovo-jean-reagan-lee-wildish450

Inscrições para o 1º Prêmio RBS de Educação terminam neste domingo

Com o tema Mediação de Leitura, o Prêmio RBS de Educação vai escolher as melhores práticas de estímulo ao contato com a palavra escrita daqueles que se preocupam em incentivar a leitura em sala de aula ou em grupos comunitários.

Os participantes têm até este domingo para se inscrever, mas podem enviar o relato até o dia 10 de agosto. Lucia Ritzel, gerente-executiva da Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho, conta que as inscrições superaram as expectativas tanto no Rio Grande do Sul quanto em Santa Catarina — os dois Estados que participam do concurso.

— É muito bom ter esta resposta tão positiva da sociedade, porque o prêmio está voltado para dois eixos: identificar e valorizar boas práticas de apoio à leitura para inspirar outras pessoas. O número mostra que teremos bastante trabalho para escolher os vencedores — comemora Lucia.

O curso online, que busca qualificar práticas de apoio à leitura, atraiu também interessados de fora dos dois Estados. A ferramenta pode ser acessada por qualquer um, incluindo pais que desejem ampliar o interesse dos filhos pela leitura, e é gratuita. O site é útil também para escolas e comunidades, já que uma cartilha, disponível para download, orienta como fazer o diagnóstico sobre a leitura na escola e, se necessário, repensar estratégias.

Mais de 6 mil pessoas já se inscreveram no curso online — destas, mais de 2 mil devem concorrer no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina.



COMO PARTICIPAR

Tema do prêmio
O tema escolhido para a premiação é a mediação de leitura, ou seja, uma forma criativa de fazer a ponte entre o texto e os leitores. O mediador é um leitor experiente, que gosta e sabe como estimular outros a adquirirem o mesmo hábito.

Onde se inscrever
Até este domingo, dia 14, no site do prêmio, onde também está o regulamento.

Categorias
Professor de escola pública, professor de escola privada e projeto comunitário.

Quem pode participar
Professores e educadores que desenvolvam práticas de mediação de leitura. A premiação não se restringe a projetos nas disciplinas de português e literatura, já que as habilidades leitoras também são fundamentais nas áreas de matemática e ciências, entre outras. Para concorrer, interessados devem elaborar um relato que tenha como tema as práticas de ensino de leitura.

Como será a seleção
A Comissão Julgadora será formada por especialistas. Após avaliação dos relatos, que devem ser submetidos no site do prêmio, a comissão elegerá três finalistas para cada uma das categorias, no RS e SC, separadamente. Entre os finalistas, serão escolhidos os vencedores, pelos jurados e ainda por um júri popular.

Valor do prêmio
R$ 155 mil, distribuídos entre finalistas, vencedores e instituições de cada categoria nos dois Estados.

Posso me inscrever em mais de uma categoria?
Sim, desde que você atue em mais de uma categoria. Exemplo: como voluntário em um hospital e professor de escola.

Como fazer o curso online
No site do prêmio é possível fazer um curso online gratuito sobre como ler e o papel do apoiador de leitura. A atividade leva em média duas horas para ser concluída.



Site do prêmio: http://www.premiorbsdeeducacao.com.br/

Fonte:http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/geral/noticia/2013/07/inscricoes-para-o-1-premio-rbs-de-educacao-terminam-neste-domingo-4199623.html

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Adélia Einsfeldt lança livro de poesias na CCMQ


“Pétalas” é o livro composto pelas poesias de Adélia Einsfeldt, que será lançado no dia 27 de julho (sábado), a partir das 14h30, na Sala de Leitura da Biblioteca Erico Veríssimo, no 3º andar da Casa de Cultura Mario Quintana. O evento tem entrada gratuita.
          Adélia de Lourdes Klaus Einsfeldt nasceu no dia 13 de abril de 1934, em Porto Alegre. Membro da IWA -International Writers and Artists Association (Associação Internacional de Escritores e Artistas-Estados Unidos)/USA, é sócia efetiva da Sociedade Partenon Literário-Porto Alegre/RS. É autora do portal Cen – Portugal e integra grupos de poesia e performance de Porto Alegre.
Na Feira do Livro de Porto Alegre em 2011, lançou “Animais se Divertem”, livro de poesia infantil. Participou de várias coletâneas: Voo -AGEI (Associação Gaúcha dos Escritores Independentes);  Palavras-AJEB (Associação de Jornalistas e Escritoras do Brasil);  Panorama Literário Brasileiro (Câmara Brasileira de Jovens Escritores)/Rio de Janeiro e Arabescos- VirArte (Santa Maria/RS).  No Epoema-Bolsilivro virArte, seu poema foi escolhido para título do livro e consta na contracapa. Também consta na Agenda 2013 virArte (Santa Maria) e Poemando o Brasil (Aracaju/SE).
Venceu alguns concursos de poesia, como o Histórias do Trabalho, promovido pela Prefeitura Porto Alegre; Fragmentos Urbanos, da  Cia. Carris, com poema em cartões postais da Capital; V Concurso Cultural FECI Internacional- Mérito Cultural Poético; e Sport Club Internacional- Porto Alegre/RS.

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Conheça a Fundação Dorina Nowill

A Fundação Dorina Nowill para Cegos produz livros em braille, falados e digitais acessíveis e os distribui gratuitamente para pessoas com deficiência visual e a mais de 1.400 escolas, associações, bibliotecas e organizações que os atendem em todo o País. Sua missão facilitar a inclusão social de pessoas com deficiência visual, respeitando as necessidades individuais e sociais.

A fundação também conta com serviços especializados. Os Serviços Especializados da Fundação Dorina Nowill para Cegos são gratuitos e têm como objetivo oferecer, à pessoa com deficiência visual de todas as faixas etárias, tratamento adequado às suas necessidades, proporcionando condições para um desenvolvimento pleno, de acordo com seu potencial individual e suas condições sociais, educacionais e econômicas, visando a sua inclusão social.
O trabalho é desenvolvido com equipe interdisciplinar composta por profissionais das áreas de: Serviço Social, Psicologia, Pedagogia, Fisioterapia, Professores de Orientação e Mobilidade, Terapia Ocupacional, Ortóptica e Oftalmologia.

Quem foi Dorina de Gouvêa Nowill.

Nascida em São Paulo no dia 28 de maio de 1919, Dorina ficou cega aos 17 anos vítima de uma enfermidade não diagnosticada. Percebendo, naquela época, a carência de livros em braille no Brasil, criou, com a participação de outras normalistas, a então Fundação para o Livro do Cego no Brasil, que iniciou suas atividades em 11 de março de 1946.
Dorina de Gouvêa Nowill especializou-se em educação de cegos no Teacher´s College da Universidade de Columbia, em New York - EUA. Naquela ocasião, participou de uma reunião com a Diretoria da Kellog's Foundation, expôs o problema da falta de livros em braille para cegos brasileiros e da necessidade de se conseguir uma imprensa braille para a Fundação que tinha sido criada no Brasil. Em 1948, a Fundação para o Livro do Cego no Brasil recebeu da Kellog's Foundation e da American Foundation for Overseas Blind uma imprensa braille completa com maquinários, papel e outros materiais.

Faleceu em 29 de agosto de 2010, aos 91 anos de idade. Deixou ao Brasil e ao mundo uma instituição reconhecida pela qualidade de seus livros acessíveis e serviços de reabilitação. Deixou à pessoa com deficiência visual a oportunidade de viver com dignidade e às pessoas que enxergam uma lição de vida.

Para saber mais sobre a fundação visite o site: http://www.fundacaodorina.org.br/


#TáNoKit da Semana

Essa semana o #TáNoKit trás um livro que foi lançado pela Assembleia Legislativa do Estado, o "Coletânea de Poesia Gaúcha Contemporânea".


Está Coletânea de Poesia Gaúcha Contemporânea, que reúne 91 autores e autoras das vertentes estéticas e temáticas, dá seguimento, portanto, às edições de Antologia de Sul (2001) e Coletânea de Poesia Gaúcha (2005). A edição impressa será distribuída de forma gratuita, prioritariamente, às bibliotecas de instituições públicas.


O kit com este livro já pode ser retirado conosco aqui do SEBP/RS, por todas as bibliotecas públicas devidamente cadastradas. Mediante a apresentação do ofício.

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Prêmio reconhecerá experiências de estímulo à leitura no RS e em SC

A primeira edição do Prêmio RBS de Educação com o tema Para Entender o Mundo, promovida pela Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho (FMSS), com apoio técnico do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), está com inscrições abertas até o próximo dia 27 de julho. O concurso reconhecerá experiências de estímulo à habilidade de leitura com crianças, jovens e adultos por meio de relatos de mediação de leitura, no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. Até esta data o participante deverá fazer o curso online “Mediação de leitura: uma ponte entre o leitor e o texto” para compreender as regras do concurso. Os relatos poderão ser encaminhados até 10 de agosto.

A premiação é dividida nas categorias: professor de escola pública, professor de escola privada e projeto comunitário. Haverá uma quarta modalidade, a dos eleitos pelo júri popular. Nesse caso, os 18 finalistas participarão de uma votação popular, que será realizada pela internet. Segundo a organização, desta votação sairão mais dois vencedores, um de cada estado. A premiação ocorrerá entre novembro e dezembro. Mais informações no site http://www.premiorbsdeeducacao.com.br/.


Fonte:http://horizontegeografico.com.br/exibirMateria/1800/educacao-premio-reconhecera-experiencias-de-estimulo-a-leitura-no-rs-e-em-sc

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Celebre o dia do Futebol, lendo um livro. #DicaSEBP


Parece heresia dizer que o dia do futebol não é nenhum dos domingos que você dedica ao seu clube do coração. Mas aqui no Brasil, o dia do futebol é comemorado hoje, 19 de julho.
A data foi estabelecida em 1976 pela então CBD (Confederação Brasileira de Desportos), antecessora à atual CBF, em homenagem ao Sport Club Rio Grande, da cidade gaúcha de Rio Grande. É o mais antigo clube em atividade do Brasil, fundado em 19 de julho de 1900, no mesmo dia que foi inaugurada a primeira linha de metrô de Paris.
Fundado pelo alemão Johannes Minnemann após conhecer o esporte na Europa, o Rio Grande começou com 21 jovens esportistas, a maioria de origem europeia. Ainda sem adversários na cidade, os jogos eram disputados entre o Quadro B e o Quadro A, formado pelos próprios sócios do clube. Os jogos eram realizados na cidade marítima, onde aconteciam as Oficinas da Viação Férrea até 1904, quando o clube adquiriu seu campo no Boulevard Buarque de Macedo.
As honras máximas do clube gaúcho aconteceram na primeira metade do século passado. Em setembro de 1922 conquistou a Taça Centenário da Independência, instituída pelo Governo do Estado. Além do Rio Grande, disputaram a Taça os clubes Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense, Rui Barbosa e o Fussball Club Porto Alegre.
Em 1936, sagrou-se campeão gaúcho ao vencer o Internacional por 3 x 2 e 2 x 0, em sua primeira participação no estadual. Com ótimas campanhas, ainda seria vice em 1941 e 1951. Hoje está na segunda divisão gaúcha.
No museu do clube, aberto a visitação, um pouco da história do esporte mais popular do país: 3700 registros de jornais; 1700 documentos históricos; 1230 fotos; 270 taças e troféus; 51 fitas de vídeo; 48 placas; 4 bolas; 15 medalhas; 47 flâmulas e 24 diplomas.

Para celebrar o dia do Futebol, o SEBP/RS separou uma lista de livros que você pode ler no fim de semana, no qual assunto principal é a nossa paixão nacional. São eles:

Livro: Bebeto: O Canhão da Serra
Autor: Lucas Scherer

Livro: Barbosa: Um Gol faz 50 anos
Autor: Roberto Muylaert
Livro: Heróis de Cimento: O Torcedor e suas emoções
Autor: Hilton Mattos
Livro: Estrela Solitária: Um Brasileiro chamado Garrincha
Autor: Ruy Castro

Livro: Cartão Vermelho
Autor: Edilson Pereira de Carvalho
Livro: Charles Miller: O Pai do futebol brasileiro.
Autor: John Robert Mills
Já fica a #DicaSEBP da semana.

Eu amo Biblioteca, Eu Quero!


O movimento “Eu Amo Biblioteca, Eu Quero” foi criado para mobilizar a sociedade e mostrar que as bibliotecas não são apenas um espaço para guardar livros. As bibliotecas devem ser espaços convidativos e, além de incentivar a leitura, precisam oferecer uma agenda cultural variada com música, cinema, dança, arte, cursos, palestras, oficinas. Elas devem possuir acervos atualizados, acesso à internet, jogos, brinquedos e também contar com uma equipe especializada para atender a comunidade. Além disso, as bibliotecas devem prestar serviços diversos que promovam a inclusão e contribuam com a formação cidadã, como, por exemplo, auxiliar na elaboração de currículo, prestar informações sobre programas sociais que sua cidade e seu estado dispõem, ensinar a navegar na internet e muito mais. Há vários tipos de bibliotecas: públicas, escolares, acadêmicas, especializadas. Todas oferecem inúmeras formas de conhecimento, cultura, arte e lazer. Exija bibliotecas de qualidade. Você tem direito!



Participe desse movimento!


quinta-feira, 18 de julho de 2013

Franklin da Cunha toma posse na Academia Rio-Grandense de Letras

Como representante do governador Tarso Genro, o secretário de Estado da Cultura, Assis Brasil, entregou a medalha de posse ao médico e escritor Franklin da Cunha que passa a ocupar a cadeira de número 9 da entidade.

A cerimônia, presidida por Sérgio Borja, foi realizada no final da tarde dessa quarta-feira (17) no auditório do Palácio Histórico do Ministério Público. O novo acadêmico teve como paraninfo o escritor José Degrazia que em sua fala de apresentação classificou Franklin como um renascentista. “A leitura de seus livros nos mostra que ele é um renascentista. Um homem estudioso da ciência, da filosofia e da história. Seus ensaios e ficções se completam em um todo harmônico”, destacou.
O patrono da cadeira nº 9 é Ramiz Galvão, que também foi médico e escritor, e o antecessor de Cunha foi frei Rovílio Costa, cuja biografia foi relembrada no discurso de posse do novo acadêmico.  Além disso, Franklin ressaltou a falta de atenção para com as perdas linguísticas do mundo. “Quando uma língua se extingue perde-se milhares de anos do desenvolvimento cultural de um povo”, disse e encerrou citando a importância da academias e feiras literárias, bem como das Feiras de Livros para a manutenção do conhecimento por meio da palavra escrita.

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Textos de escritores gaúchos circulam nos ônibus intermunicipais

 Os passageiros dos ônibus intermunicipais do Rio Grande do Sul têm desde esta terça-feira (16), uma excelente opção para passar o tempo do deslocamento de suas viagens: lendo textos de autores gaúchos novos e também dos já consagrados.

Na presença do secretário de Estado da Cultura, Assis Brasil, e do diretor de Transporte Rodoviário do DAER, Saul Sastre, um ato simbólico realizado na Estação Rodoviária de Porto Alegre marcou o inicio do projeto Prosa na Estrada.  A ideia da escritora Valesca de Assis evoluiu para o projeto desenvolvido pelo Instituto Estadual do Livro (IEL) em parceria com o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (DAER) e  Associação Gaúcha de Escritores ( AGES). Contou ainda com o apoio da Companhia Rio-Grandense de Artes Gráficas (CORAG), Celulose Rio –Grandense e Associação Rio-Grandense de Transporte Intermunicipal ( RTI).
São 27 folhetos com textos de 30 autores, sendo 23 selecionados por edital e sete de autores consagrados já falecidos (Moacyr Scliar, Sérgio Jockyman, Caio Fernando Abreu, Cyro Martins, João Simões Lopes Neto, vera Karam e Carlos Carvalho).
Assis Brasil falou sobre a importância do projeto que marca mais uma das ações do Governo do Estado com o objetivo de fomento ao livro e incentivo à leitura. “A estação Rodoviária é o melhor lugar para este lançamento, porque este será o universo dos leitores do Prosa na Estrada. O modelo é baseado no “Poema nos ônibus”, lançado pelo governador Tarso Genro quando era prefeito de Porto Alegre. A nossa intenção é fazer com que a literatura chegue mais perto das pessoas oferecendo a melhor opção para passar o tempo: a leitura, completou.
Saul Sastre destacou a satisfação do DAER em ser parceiro do projeto e o fato dos ônibus se tornarem um espaço democrático para o incentivo à leitura. “ Esta é a semente se uma parceria que vai resultar em muitas outras ações que possam fazer com que a cultura melhore a vida das pessoas aqui no estado”, disse o diretor .
O presidente da Ages, Caio Ritter, ressaltou a oportunidade de divulgação do trabalho de novos autores. “Viabilizar a divulgação destes textos para milhares de pessoas tem uma enorme dimensão para divulgar novos escritores e disseminar ainda mais as obras dos já consagrados”. O presidente da Ages finalizou lendo um trecho do poema Ácaros, de Ivanise Montovani. “ Que com este projeto possamos remover os ácaros dos livros gaúchos”, encerrou.
Para finalizar o ato as autoridades e escritores presentes, simbolicamente, colocaram os folderes em um dos ônibus. Também  participaram da cerimônia a diretora-presidente da Corag, Vera Oliveira, a diretora do IEL, Laís Cahffe,  o permissionário da estação Rodoviária, Giovanni Luiggi, o diretor da Planalto Transportes, Paulo Petersen, e o representante da Ouro e Prata Marcelo Lima
















Fonte:http://www.cultura.rs.gov.br/v2/2013/07/textos-de-escritores-gauchos-circulam-nos-onibus-intermunicipais/


terça-feira, 16 de julho de 2013

Tá no Kit da Semana

Essa semana o #TáNoKit apresenta: "A Vida é um Zuuuummm..." de Sílvio Valentin Liorbano


A poesia de Sílvio é amorosamente voltada para aquelas "porções de carinho, espaço amoroso onde pomos e "re-pomos" espontaneamente afetos sem tamanho que, na voz do Poeta, é puríssima poesia. O lugar é a família, os poetas amados como Quintana, o céu infinito, que não é apenas transcendência, é "Pampas da Terra", é a própria "Gota de céu que chora", é a escola: "A escola é poesia".
 Jorge Miguel Marinho.

Conheça a Barca Dos Livros

A Barca dos Livros é uma biblioteca comunitária, mantida pela Sociedade Amantesda Leitura, com sede na Lagoa da Conceição, em Florianópolis, que defende a importância da leitura para o desenvolvimento comunitário e individual. Desde 2009 é Ponto de Cultura.

Tem como missão facilitar o acesso ao livro e à leitura através do atendimento diário e gratuito à comunidade, promovendo a formação de leitores e de mediadores de leitura.

Saiba mais no Site: http://barcadoslivros.org/


segunda-feira, 15 de julho de 2013

Ato de lançamento do projeto Prosa na Estrada


Nesta terça-feira (16), às 16h, na Estação Rodoviária de Porto Alegre (Largo Vespasiano Julio Veppo, 70), será realizado o ato de lançamento do projeto Prosa na Estrada, com a presença do secretário de Estado da Cultura, Assis Brasil, da diretora do Instituto Estadual do Livro (IEL), Laís Chaffe, e representantes das instituições parceiras e apoiadoras. O projeto irá disponibilizar textos de escritores gaúchos ou residentes no estado em ônibus intermunicipais.
Na cerimônia, serão colocados em um ônibus folhetos com contos e minicontos de 30 autores, sendo 23 selecionados em concurso e sete autores consagrados já falecidos (Caio Fernando Abreu, Carlos Carvalho, Cyro Martins, João Simões Lopes Neto, Moacyr Scliar, Sérgio Jockyman e Vera Karam). O Prosa na Estrada irá distribuir ao todo 100 mil cópias dos textos.
O concurso foi promovido pelo Instituto Estadual do Livro (IEL), em parceria com o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) e a Associação Gaúcha de Escritores (AGES). Conta também com o apoio da Companhia Rio-Grandense de Artes Gráficas (Corag) e da Celulose Rio-grandense.

terça-feira, 9 de julho de 2013

Convite do Instituto Estadual do Livro

A Secretaria de Cultura do Estado, por meio do IEL convida, para o lançamento de cinco livros, que já foram citados aqui no nosso blog do SEBP.  Veja o Convite:




Tá No Kit da Semana



O #TáNoKit dessa semana, trás o livro de bolso: "Pocket" do jornalista, Ruy Carlos Ostermann.



O Ruy sempre foi conhecido pelo seu trabalho com o futebol. Há décadas escreve crônicas memoráveis sobre o assunto nos principais jornais de Porto Alegre. Às vezes, como contrabando, no pé da coluna, deixa escapar uma reflexão filosófica ou destaca um acontecimento cultural. Uma delícia, procurada no jornal ou camuflada na página de esportes. Este pocket reúne 104 crônicas escritas por ele entre 2004 e 2012, e selecionadas por Luís Augusto Fischer e Kátia Suman, especialmente para a publicação.


O kit com esse exemplar, já pode ser retirado aqui conosco do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas. Por todas as bibliotecas devidamente cadastradas, mediante a apresentação do ofício.

Conheça a Biblioteca Parque da Rocinha

A C4 - Biblioteca Parque da Rocinha é a terceira de uma rede que a Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro vem implementando, com o objetivo de estruturar um novo patamar de atendimento às comunidades do estado.

Inaugurada em junho de 2012, tendo como principais referências as bem-sucedidas experiências implementadas em Medelin e Bogotá, na Colômbia, é um espaço cultural e de convivência, com qualidade física, humana e de serviços.

Com 1,6 mil metros quadrados, a Biblioteca Parque da Rocinha possui cinco andares, nos quais foram instalados uma DVDteca, um cineteatro, uma sala multiuso para cursos, estúdio de gravação e edição audiovisual, setor de internet comunitária (com 48 computadores e 12 notebooks), cozinha-escola e café-literário. A capacidade inicial para de obras é de 15 mil livros e 2 mil DVDs.

Baseada no conceito de que bibliotecas não devem ser somente espaços silenciosos, mas lugares que se aproximem de centros culturais, a Biblioteca Parque da Rocinha realiza atividades culturais e de promoção de leitura nos mais diversos suportes, visando estimular a produção, a fruição e a difusão das produções artísticas e, especialmente, a viabilização do acesso à cultura.

"O conceito de biblioteca vem evoluindo muito, de um lugar apenas de guarda livros, de consulta para pesquisas e estudos para um centro de cultura, conhecimento e de idadania”, explica a Secretária de Estado de Cultura, Adriana Rattes. “É um lugar de acesso livre e irrestrito à informação. É isso que forma um cidadão de primeira classe. E é isso que estamos tentando criar com o programa de Bibliotecas Parque. "Imaginamos criar em todas as regiões do estado pelo menos uma biblioteca desse tipo. Todas interligadas, cada uma funcionando como cabeça de rede das bibliotecas municipais, escolares, comunitárias, de todos os projetos de leitura e educação. Seriam as condutoras, a referência de um modelo novo de se discutir a questão do conhecimento, da formação, da educação”, conclui.

Segundo a Superintendente de Leitura e Conhecimento da SEC, Vera Saboya, esse espaço tem importante papel na comunidade. “A Rocinha é uma comunidade repleta de artistas, agentes e mediadores culturais. Ela tem uma vocação cultural muito grande. O modelo da Biblioteca Parque é de um espaço múltiplo que trabalha todas as artes: música, cinema, teatro, literatura, gastronomia etc”, informa Vera.

Fonte: http://www.cultura.rj.gov.br/apresentacao-espaco/c4-biblioteca-parque-da-rocinha

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Secretário de Cultura do RS visita a Biblioteca Justino Guimarães Neto em Ibirubá



No dia 02 de julho de 2013, o Secretario Estadual da Cultura Luiz Antônio de Assis Brasil visitou a Biblioteca Pública Justino Guimarães Neto, de Ibirubá, onde em companhia do Bibliotecário Jorge Ferreira, conheceu as dependências e setores da biblioteca e autografou alguns livros de sua autoria, que fazem parte do acervo, dedicando-os a todos os leitores e leitoras da BPJGN.

Quando assumiu a Secretaria de Estado da Cultura (Sedac) do Rio Grande do Sul, em 3 de janeiro de 2011, após ter sido convidado pelo governador Tarso Genro, já em seu discurso de posse, Assis Brasil declarou pretender e realizar “encontros setoriais de cultura”, para retomar o diálogo com a comunidade de artistas e gestores, bem como fortalecer os laços da Secretaria com o Conselho Estadual de Cultura, órgão responsável pela aprovação de projetos beneficiados pela Lei de Incentivo à Cultura.

Estreiou como escritor em 1976, publicando o romance Um Quarto de Légua em Quadro, lançado na 32.° Feira do Livro de Porto Alegre. Recebeu por seu primeiro livro o prêmio Ilha de Laytano. Foi também em 1976 que Assis Brasil também iniciou sua trajetória como administrador cultural: como chefe da secção de Atividades Artísticas da prefeitura de Porto Alegre; como diretor do Centro Municipal de Cultura de Porto Alegre em 1981; e como diretor do Instituto Estadual do Livro em 1983.

Obras:

1976 – Um quarto de légua em quadro;
1978 – A prole do corvo
1981 – Bacia das almas
1982 – Manhã transfigurada
1985 – As virtudes da casa
1986 – O homem amoroso
1987 – Cães da província
1990 – Videiras de cristal
1992 – Perversas famílias
1993 – Pedra da memória
1994 – Os senhores do século
1997 – Concerto campestre
1997 – Anais da Província-Boi
1997 – Breviário das terras do Brasil
2001 – O pintor de retratos
2003 – A margem imóvel do rio
2006 – Música perdida
2008 – Ensaios Íntimos e Imperfeitos
2012 – Figura na Sombra
Entre outros, recebeu os seguintes prêmios:

Prêmio Literário Nacional, do Instituto Nacional do Livro (1987), por Cães da Província;

Prêmio Erico Verissimo (1987) pelo conjunto de sua obra;

Prêmio Literário Machado de Assis, da Biblioteca Nacional (2001), por O pintor de retratos;

Prêmio Jabuti (2003), por A margem imóvel do rio. Menção;

Prêmio Portugal Telecom de Literatura Brasileira (2004), por A margem imóvel do rio. O único romance entre os três vencedores.
Vários de seus livros foram levados ao cinema:

Concerto campestre, com o mesmo título;
Videiras de cristal, com o título de A paixão de Jacobina
Um quarto de légua em quadro, com o título de Diário de um novo mundo.
Manhã Transfigurada, com o mesmo título.



A Biblioteca Pública Municipal Justino Guimaraes Neto está aberta para o atendimento ao píblico das 8 às 11h45min. e das 13h30min. às 17h15min, não havendo pagamento de inscrição ou taxas para o empréstimo de livros e outros materiais do acervo, contando com o Setor de Referência, Arquivo dos Diários Oficiais (1971 a 2009) e dos jornais O Alto Jacui e Visão Regional (desde suas fundações), Setor Infantil (livros, gibis e brinquedos), Setor de Literatura para Jovens e Adultos com amplo e diversificado número de títulos.

Fonte: http://jeacontece.com.br/?p=62339

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Bibliotecas estão presentes em 97% das cidades, mostra IBGE

O principal equipamento cultural do País, que atinge o maior número de municípios, é a biblioteca, segundo a Pesquisa de Informações Básicas Municipais (Munic) 2012, divulgada nesta quarta-feira (3) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O espaço para estudo e leitura está presente em 97% das cidades brasileiras. Em 1999 estavam em 76,3%.



A gerente da pesquisa, Vânia Pacheco, destaca que o dado se refere a bibliotecas com acesso ao público, não necessariamente geridas pelo poder municipal. "É a existência no município de uma biblioteca que tenha acesso ao público em geral, ela não é restrita. Ela pode ser ou não de gestão municipal".



O tema CULTURA está presente desde a primeira edição do levantamento, em 1999, e foi objeto de suplemento especial em 2006, quando o MINISTÉRIO DA CULTURA fez um convênio com o IBGE para iniciar a análise de indicadores culturais para a elaboração de políticas pública.



No ano passado, foram pesquisados os conselhos municipais de CULTURA e de Preservação do Patrimônio, 19 tipos equipamentos culturais, 17 de atividades artesanais e 16 atividades artísticas. Enquanto em 2006, 72% dos municípios tinham órgão gestor de CULTURA próprio ou conjunto com outra política, a proporção caiu para 63,9% em 2012. Outros 12,7% tinham órgão subordinado a outra secretaria e 3,5% não tinham qualquer organização administrativa para tratar do tema. Em 13,5% dos municípios havia secretaria de CULTURA exclusiva.



Os conselhos municipais de CULTURA existem, desde 1967, como forma de a sociedade civil discutir com o Poder Público o desenho das ações políticas para a área de CULTURA, bem como fiscalizar a implementação delas. Na pesquisa de 2012, foi constata a existência do conselho em 32,3% dos municípios. Em 2006, eles estavam presentes em 17%. A existência do Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio subiu de 13,3% dos municípios para 15,8% em 2012.



Quanto aos equipamentos culturais, além da tendência de universalização das bibliotecas, os ginásios esportivos seguem no mesmo crescente. Em 1999, estavam presentes em 65% dos municípios, passando para 89,4% em 2012. Ao mesmo tempo, houve redução dos clubes e associações recreativas, de 70,4% em 2001 para 65,6% em 2012.



De 1999 para 2012, o número de municípios com museus passou de 15% para 25%; com teatros subiu de 13,7% para 22,4%; os cinemas passaram de 7,2% para 10,7% dos municípios e o percentual de centros culturais aumentou de 24,8% em 2006 para 33,9% em 2012. Cidades com unidades de ensino superior subiram de 19,6% em 2001 para 39,5% em 2012. Pela primeira vez, a pesquisa verificou a existência de arquivos públicos ou centros de documentação, presentes em 18% dos municípios.



As novas tecnologias são outra tendência de crescimento. Pela primeira vez, a pesquisa verificou a existência de lan houses, que estão presentes em 81,7% das cidades. Os provedores de rede de internet passaram de 16,4% das cidades, em 1999, para 57,4% em 2012.



Quanto às atividades artesanais, o bordado é o mais presente no país, sendo feito em 74,2% dos municípios. Em seguida, vem o artesanato em madeira, com 33,7% e a culinária típica, feita em 27,7% das cidades.



Nas atividades artísticas, as bandas estavam presentes em 43,7% das cidades em 2001 e passaram para 64,5% em 2012. As manifestações tradicionais populares subiram de 45,8% municípios, em 2005, para 61% em 2012, chegando a 100% das cidades no Amapá. Os grupos de dança estão presentes em 57,6% dos municípios e os de capoeira, em 53,7%. Os dados da Munic mostram também que 47,9% das cidades têm coral; 45,8%, grupos musicais; 42,6%, blocos carnavalescos; 34,1%, grupos de teatro; 15,5% contam com orquestras; 11%, com escolas de samba e 11% têm associações literárias. Atividade de desenho e pintura é feita em 39,6% dos municípios.

quarta-feira, 3 de julho de 2013

ClickBook da semana

Essa semana o #ClickBook trás o site:

Projeto Gutenberg

Trabalha com a mesma lógica de disponibilização de livros que se tornaram domínio público, são de 38 mil obras. O site é a primeira grande coleção de livros gratuitos. Escolha entre livros grátis em formato epub ou livros grátis em formato kindle, descarregue-os ou leia-os em linha.

Luiz Antonio de Assis Brasil fala sobre o Plano Estadual do Livro, Leitura e Literatura



Com lançamento previsto para agosto, o texto final do Plano Estadual do Livro, Leitura e Literatura será debatido a portas fechadas nesta quarta, no Instituto de Letras da PUC. Durante 45 dias, o projeto esteve aberto a consulta pública recebendo sugestões da sociedade.

Em entrevista, o secretário de Cultura, Luiz Antônio de Assis Brasil fala sobre o projeto:






Zero Hora — O Plano Estadual do Livro vem para englobar todas as ações do Estado com relação à literatura, à leitura e ao livro, incluindo projetos que já estavam encaminhados. Mas ainda não ficou muito claro o que ele efetivamente traz de novo. O PELLL assinala uma nova guinada na política pública com relação ao livro? Para qual direção?

Luiz Antonio de Assis Brasil — O que ele traz de novo é articular as ações, projetos, programas e políticas da área do livro em um planejamento de mais fôlego, hierarquizando os pontos que devem ser priorizados para o desenvolvimento dessas três áreas no Estado. A área econômica, que é o livro, a cidadã, que é a leitura, e a estética: a literatura. O Brasil tem desde 2006 um Plano Nacional de Livro e Leitura e a partir de então os investimentos aumentaram muito nesta área na comparação com o período anterior, porque com um planejamento desses se estabelece um pacto em torno da leitura, tanto do ponto de vista da cultura quanto da educação, buscando fortalecer o papel do livro e da leitura no imaginário coletivo, gerar ambiente para que tenhamos mais famílias de leitores, escolas que formem leitores culturais, mais e melhores bibliotecas, pontos de leitura e uma diminuição no preço do livro ao consumidor. O Plano organiza uma série de ações que, sozinhas, teriam menos efetividade. E resulta de ampla participação do setor em sua redação.

ZH — Quais as principais iniciativas em cada um dos quatro eixos (democratização do acesso, fomento à leitura e à formação de mediadores, valorização institucional da leitura e desenvolvimento da economia do livro)?

Assis Brasil — Na democratização do acesso, a iniciativa principal é a modernização de bibliotecas. Desde o início do governo até agora foram 32 modernizadas num primeiro edital e o segundo, já concluído, está modernizando mais 79. Estas, junto com a Fundação Biblioteca Nacional, vinculada do Ministério da Cultura. Em seguida, modernizaremos mais 46. Nos municípios com menos de dez mil habitantes, são R$ 20 mil para cada biblioteca, nos com mais de 10 mil habitantes, são R$ 50 mil cada. No total, estamos investindo R$ 4 milhões, com recursos próprios e do MinC. Volume nunca antes investido nesta área. No fomento à leitura e formação de mediadores, lançaremos este ano um edital no valor de R$ 1,7 milhões. Servirão para compra de livros, pagamento de bolsas e equipamentos para a atuação de 220 agentes de leitura, também junto com o MinC. Cada agente vai atender 25 famílias nos Territórios de Paz. Na valorização da leitura, estamos revivendo um grande projeto, o Autor Presente, com 140 encontros com escritores para este ano. Ademais, o IEL retomou o plano de edições, pôs em circulação a revista VOX, criou o grande prêmio Moacyr Scliar, com parceria do Banrisul e PETROBRAS. Isso tudo é fundamental para o desenvolvimento da economia do livro, pois gera compras pelo Estado, tanto pela Cultura quanto pela Educação. Metade do investimento tem sido em compras de livros.

ZH — A reunião desta quarta-feira tem uma pauta específica ou tratará, de maneira mais geral, das sugestões recebidas da população?

Assis Brasil — A comissão do PELLL se reunirá na quinta-feira para avaliar e sistematizar as contribuições enviadas pela população nos 45 dias de consulta pública.

ZH — É possível dimensionar o impacto que o PELLL terá na cadeia produtiva do livro no Estado?

Assis Brasil — Toda área que se planeja tem mais resultados do que as que não passam por esse processo. Certamente que o PELL terá impactos na economia do livro, pois estimula a leitura e promove a literatura gaúcha.

ZH — Há previsão de lançamento do PELLL?

Assis Brasil — Final de agosto. Esperamos lançá-lo no contexto de um grande evento.

ZH — O Segundo Caderno publicou há alguns dias uma matéria sobre a saída da editora L&PM do estado. Entre os motivos para esta saída, o Ivan Pinheiro Machado mencionou que o Estado não compra livro há muito anos e que o custo de trabalhar no RS é altíssimo. Você poderia comentar essas críticas?

Assis Brasil — O Estado nunca comprou tantos livros quanto atualmente, nunca modernizou tantas bibliotecas, nem teve tanto investimento em cultura como nos dias atuais. Nossa articulação com a educação também tem sido extremamente benéfica para gerar um clima altamente favorável à literatura e à leitura em nosso Estado. No total são 8 milhões de reais dedicados ao livro. O Fundo de Apoio à Cultura tem diversas ações nesta área, assim como financiamos via Lei de Incentivo à Cultura alguns dos mais importantes eventos de livro e leitura do nosso Estado.

ZH — Qual o orçamento total do PELLL neste ano? Existe uma previsão de verba anual para ele? Com a chegada do PELL, os investimentos nas áreas cobertas pelo PELLL devem aumentar ou a expectativa é de que somente o planejamento torne os mesmos recursos mais eficazes?

Assis Brasil — Na verdade, o PELLL estabelece políticas públicas e, como tal, não prevê dotações orçamentárias; para executá-lo, haverá os mecanismos habituais de execução, tais como recursos próprios do Estado, das leis de incentivo da União Federal, do Estado e dos municípios, e, ainda, do Fundo Estadual da Cultura. Imagino que ocorrerão as duas coisas: um acréscimo de investimento público no setor e, ao mesmo tempo, um alinhamento eficaz das diferentes políticas, de modo a rentabilizar ao máximo os recursos disponíveis.


Fonte da Notícia: Jornal Zero Hora

terça-feira, 2 de julho de 2013

Tá No Kit da Semana

Essa semana o #TáNoKit trás o livro:

Lógicas Invertidas, de Cláudia Coelho.

Neste livro você encontrará um olhar questionador que disseca situações do cotidiano, convidando o leitor a  inverter a sua própria  lógica. Cada história relatada propõe ler onde não está escrito, trilhar um caminho diferente, ler nas entrelinhas, ver o avesso das coisas e das pessoas.
O livro aborda temas como tecnologias, estresse, casamento, amor, trabalho, velhice, sexualidade, viagens... colocando uma nova lente sobre o olhar que se costuma a não ver , ou a ver somente sob uma ótica.


O kit com esse livro, já pode ser retirado conosco aqui do SEBP/RS por todas as bibliotecas públicas e comunitárias, devidamente cadastradas. Mediante a apresentação do ofício.

Atenção Coordenadores de Bibliotecas Públicas

Prezados:

Todas as informações referentes ao Edital 14/2012 de Modernização de Bibliotecas Públicas, em fase de convênio. Favor entrar em contato com o Departamento Jurídico da Secretaria de Cultura, pelo telefone: (51) 3288-7508

PLANO ANUAL DE DIFUSÃO DO LIVRO


O Estado do Rio Grande do Sul, pioneiro na construção da Lei do Livro Estadual (lei 11.670) e na sua regulamentação, serviu de modelo para a criação da Lei do Livro Federal.  De acordo com a Lei 11.670 e  o Decreto 43.036 que regulamenta e dá outras providência a lei 11.670, todos os anos a comissão composta por representantes da Secretaria de Estado da Cultura, Secretaria da Educação do RS e entidades ligadas ao livro devem se reunir para elaborar o Plano Anual de Difusão do Livro até o primeiro semestre do ano anterior à sua vigência. O Plano deve conter os objetivos que serão priorizados na sua aplicação, as linhas de ação a serem executadas e a inclusão de recursos orçamentários. 

A Comissão encarregada de elaborar o Plano Anual de Difusão do Livro, formado por:

Rosana de Lemos Vasques - Secretaria da Cultura – Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas
Maria do Carmo Ferreira Mizetti  - Secretaria de Educação – Sistema Estadual de Bibliotecas Escolares
Laís Chaffe  - Instituto Estadual do Livro
Osvaldo Santucci - Câmara Rio-Grandense do Livro
Jerônimo Braga - Clube dos Editores

Decidiu as prioridades e o orçamento para o plano de 2014:

1. Promover e facilitar o acesso à leitura;
2. Propiciar a renovação dos acervos das bibliotecas públicas e escolares do Estado do Rio Grande do Sul;
3. Estimular a produção de novos autores gaúchos e o envio, pelas editoras gaúchas, de dois (2) exemplares de cada uma de suas publicações à Biblioteca Pública Estadual.
4. Investir em ações culturais que promovam as bibliotecas públicas e escolares e estimulem seu acesso.

Para o ano de 2014 o Plano Anual de Difusão do Livro prevê recursos que atingem um percentual de investimentos quase  50% a  mais do que no ano passado, os valores passam a ser R$ 700. 000,00 (setecentos mil reais) para Secretaria de Estado da Cultura e R$ 5.000.000,000 (cinco milhões) para Secretaria de Educação.  Em 2012 quando anunciou o plano de 2013 o valor para a Secretaria de Estado da  Cultura era de: R$500.000,00 (quinhentos mil reais)  e para a Secretaria de Estado da Educação R$3.000.000,00 (três milhões de reais). Até o presente mês, a Secretaria de Cultura está investindo através do Edital de Modernização de Bibliotecas, mais de 1.680.000,000 (um milhão trezentos e oitenta) só para compra de livros e a Secretaria de Educação já superou R$6.000.000,00 (seis milhões). 

Saiba mais: 

LEI Nº 11.670, DE 19 DE SETEMBRO DE 2001 (LEI DO LIVRO) :  http://www.al.rs.gov.br/legiscomp/arquivo.asp?Rotulo=Lei%20n%BA%2011670&idNorma=494&tipo=pdf

DECRETO Nº 43.036, DE 20 DE ABRIL DE 2004
http://www.al.rs.gov.br/Legis/M010/M0100099.ASP?Hid_Tipo=TEXTO&Hid_TodasNormas=47489&hTexto=&Hid_IDNorma=47489