segunda-feira, 7 de maio de 2012

Arquitetura de bibliotecas brasileiras (por Moreno Barros)



Mais do que nunca, arquitetura e design tá sendo determinante, porque embora ninguém seja a favor de um modelo tok stok que privilegia mobiliário mais do que acervo, todas as bibliotecas que eu já visitei, sem exceção, todas que tem uma pegada mais forte de arquitetura e design do espaço físico, possuem muitos mais frequentadores e leitores visíveis.
Por que as livrarias de shopping são mais frequentadas do que as bibliotecas públicas? Afora questões culturais e econômicas, dá pra mapear a demanda (acervo atualizado, acesso livre às estantes, classificação por grandes áreas simples, localização da biblioteca, etc) e atacar essas deficiências. A dúvida é saber se transpondo o modelo arquitetônico e conceitual das livrarias para as bibliotecas, públicas em particular, o negócio avança.
Das que eu pude lembrar (estou esquecendo alguma?), projetos recentes (ou não tão recentes) de bibliotecas brasileiras que merecem menção são:
Biblioteca São Paulo
Biblioteca Parque de Manguinhos
Biblioteca da escola SESC 
Biblioteca da Floresta
Biblioteca pública do Acre
Reforma da Mário de Andrade circulante
Reforma da Biblioteca Pública de Niterói
estão por vir as Parque da Rocinha, Alemão e Pública Estadual, no Rio. E tem essa abaixo, projeto da Biblioteca Pública de Santa Catarina, que eu não sei se já está em fase de construção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário