sexta-feira, 30 de março de 2012

Governador entrega Prêmio Moacyr Scliar de Literatura ao poeta Ferreira Gullar

Aconteceu ontem no Rio de Janeiro a entrega oficial do prêmio Moacyr Scliar.


Ao início da solenidade, o secretário de Estado da Cultura, Luiz Antonio de Assis Brasil, solicitou um minuto de silêncio em homenagem a Millôr Fernandes, morto na quarta-feira.

Em sua saudação, o governador Tarso Genro agradeceu o espaço cedido pela Biblioteca Nacional e destacou que o livro premiado tem edição de 5 mil exemplares, “para que muitos conheçam a grande poesia de Ferreira Gullar”. Ao distinguir a trajetória do escritor, disse que sua obra honra a todos os brasileiros. “A superação da expressão da arte com a vida, que só os grandes escritores e poetas sabem fazer, Ferreira Gullar sabe fazer”, assinalou o governador. “Receba este prêmio também como uma homenagem do povo gaúcho”, completou Tarso.

Já o secretário estadual da Cultura enfatizou que o prêmio celebra o nome de um dos mais importantes intelectuais e escritores brasileiros, Moacyr Scliar, e que já surge vitorioso, pois contempla os diferentes âmbitos literários. “Não por nada o primeiro gênero escolhido foi a poesia. A poesia é, das formas literárias, a que mais necessita ser estimulada e divulgada. Ferreira Gullar, autor múltiplo, significa hoje uma das grandes vozes deste Brasil tão díspar”, afirmou Assis Brasil.

O poeta, que costuma ser breve em discursos, se disse emocionado. “Este momento tem especial significação para mim: nesta biblioteca passei boa parte dos meus dias nos meus 20 anos, lendo e aprendendo. E receber o prêmio Moacyr Scliar, o primeiro de uma série que com certeza serão distribuídos, e com o nome do meu querido amigo, é para mim muito especial”, contou.

Judith Scliar, viúva de Moacyr, lembrou que no discurso de formatura em Medicina, seu marido homenageou Ferreira Gullar. “O Moacyr tinha um grande apreço, desde muito jovem, pela obra de Ferreira Gullar. A trajetória de ambos tem semelhanças. Dedicaram suas carreiras a mais de um gênero literário. A Moacyr faltou apenas a poesia, que hoje está muito bem representada neste prêmio”, informou.

“Na sua primeira edição o prêmio já deixou sua marca de sucesso, pois reuniu inscritos de todo o País e homenageia esse gênero que é o inicio de todos os outros”, acrescentou Judith Scliar.

Noite especial
O presidente da Fundação Biblioteca Nacional, Galeno Amorim, disse que o momento ficará entre os grandes da instituição. A Biblioteca Nacional é uma das oito mais importantes do mundo. Possui 201 anos e compreende desde manuscritos antigos até a literatura contemporânea.

“Queremos abrir cada vez mais nosso acervo para um número cada vez maior de brasileiros. Hoje estão aqui personalidades tão importantes para o pensamento nacional. Ao lado do governador Tarso Genro, tive a honra de, enquanto ele era ministro da Educação, dar os primeiros passos para a construção do Plano Nacional do Livro e Leitura. E muitas vezes encontrei o Scliar nos lugares mais distantes, falando para pessoas simples sobre a importância da leitura. E temos nosso grande homenageado Ferreira Gullar. É uma noite muito especial para a Biblioteca Nacional”, falou Amorim.

Também participaram do evento o secretário Executivo do Ministério da Cultura, Vitor Ortiz, o presidente da Petrobrás Biocombustível, Miguel Rosseto, o representante da Academia Brasileira de Letras, Dominicio Proença Filho, o secretário Chefe de Gabinete do governador, Vinicius Wu, e o secretário da Casa Civil, Carlos Pestana.

O prêmio
O Prêmio Moacyr Scliar, que homenageia o escritor gaúcho falecido em fevereiro de 2011, tem como objetivo contemplar os melhores livros das categorias poesia e conto, publicados no Brasil, em língua portuguesa, de 1º de janeiro a 31 de dezembro dos dois anos anteriores à cada premiação. O escritor escolhido recebe R$ 150 mil, e a editora, R$ 30 mil. O livro vencedor terá direito ainda a uma edição especial de 5 mil exemplares, que serão distribuídos nas bibliotecas públicas e pontos de cultura do Rio Grande do Sul.

O vencedorNascido em 1930, em São Luiz (MA), Ferreira Gullar, pseudônimo de José Ribamar Ferreira, é poeta, ensaísta, crítico de arte, autor teatral e tradutor. Em 1959, foi um dos fundadores do movimento neoconcretista. Com 17 livros de poesia publicados, recebeu diversos prêmios, entre eles o Camões, em 2010, e o Jabuti, no ano passado.
Fonte: <http://ielrs.blogspot.com.br/> , acesso em: 30/03/2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário